Era uma vez uma casa na ilha!

Era uma vez uma casa na ilha! Herdada por um casal, a casa ficou pequena para abrigar a família que em função do casamento dos filhos, cresceu bastante. Localizada em Föhr, uma pequena ilha no Mar do Norte pertencente à Alemanha, a casa teve o sótão totalmente remodelado. De lugar esquecido, passou, com o projeto dos arquitetos do escritório Francesco Di Gregório & Karin Matz, à estrela da casa de construção típica da ilha. O espaço foi redefinido com estrutura de madeira e recoberto com 3.200 azulejos, cada um com um furo circular feito à mão. Réguas de polipropileno pintadas de azul turquesa e madeira de pinho tratada completam o revestimento do sótão, que ficou um charme.

A simpática casa na ilha de Fohr, que pertence à Alemanha.

A simpática casa em Fohr, com o telhado característico das construções da ilha.

ccccccccccccc

O sótão, antes esquecido, passou a ser um espaço disputado depois da ampla reforma.

sotao.jpg2 (Copy)

Os 3.200 azulejos foram furados um a um.

sotao.jpg3 (Copy)

A área do jantar acomoda uma pequena escrivaninha. O guarda corpo da escada, feita de cordas de nylon, tem custo baixíssimo.

sotao.jpg9 (Copy)

A cozinha em L recebeu fogão de indução e coifa poderosa.

sotao.jpg91 (Copy)

O desenho do guarda corpo da escada.

sotao.jpg92 (Copy)

Não é muito simples?

sotao.jpg99 (Copy)

Um largo hall conecta os ambientes.

xxxxxxxxxx

Todo forrado de réguas de polipropileno em azul turquesa, um dos quartos.

sotao.jpg4 (Copy)

A iluminação natural em um dos quartos.

ssssssssssss

A mesma janela da foto anterior, vista de fora.

sotao.jpg95 (Copy)

O armário aberto recebe pia em um dos nichos.

sotao.jpg992 (Copy)

Observe a luminária fixa, que praticamente desaparece quando pintada da cor da parede.

sotao.jpg993 (Copy)

À esquerda, micro quarto, que tem até uma também micro janela. À direita, a cama mais alta deixa espaço para amplas gavetas na base.

sssss

Da pequenina janela é possível ver o quarto.

sotao.jpg98 (Copy)

A casa, ultra fofa!

francescodigregorio.it

via: archdaily.com

2 Responses
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *